18 de out de 2010

PARA REFLETIR...

TELHA DE VIDRO


Quando a moça da cidade chegou, veio morar na fazenda.
Na casa velha, tão velha!
Quem fez aquela casa foi o seu bisavô!
Deram-lhe, para dormir, a camarinha, uma alcova sem luz, tão escura!
Mergulhada na tristeza de sua única portinha, a moça não disse nada.
Mandou buscar na cidade uma telha de vidro.
Queria que ficasse iluminada a sua camarinha tão sem claridade.
Agora, o quarto onde ela mora, é o quarto mais alegre da fazenda!
Tão claro que, ao meio dia, aparece um arabesco de luz nos ladrilhos vermelhos, que coitados, tão velhos, só agora é que viram a luz do dia!
A lua também se mete às vezes, pelo clarão da telha milagrosa.
Bonita, a camarinha, e era tão feia!

Você me disse um dia, que a sua vida era toda solidão.
Serena, fria, sem um luar, sem um clarão.
Porque você não experimenta?
A moça não foi tão bem sucedida?
Ponha uma telha de vidro em sua vida!

( Raquel de Queiroz )


Amigas, reflitam sobre essa linda Poesia... E tenham uma semana bem iluminada!!!
Bjs.
Emília Rolemberg

Um comentário:

  1. Lindaaaa,dá o que pensar né? Desistir por que? Sempre tem uma saida, mesmo que de tão simples,não se tenha ainda pensado nela...a luz às vezes vem de onde menos esperamos...bjocas...ahhhhh!!!ainda bem que gostou dos gráficos, lindos mesmo não...mas tem maisssss, vou postar mais prá frente. Bjocas...

    ResponderExcluir